Automovel

Seguro de Danos Proprios o que é

seguro-danos-proprios-o-que-e

Existem várias dúvidas quanto ao seguro automóvel. O que é obrigatório. O que não é obrigatório. Em que circunstâncias se aplica e muito mais. Mas, uma questão que surge muito é:

Seguro de Danos Proprios o que é?

O seguro se danos proprios é a designação dada à contratação de coberturas adicionais junto com o seguro automóvel obrigatório.

Estas coberturas adicionais têm o objectivo de nos proteger contra os prejuízos que vamos ter no decorrer de sinistros automóvel. Sinistros dos quais somos responsáveis.

Por isso se usam as palavras “Danos Proprios” precisamente para designar os prejuizos que causamos a nós proprios.

O seguro automóvel de responsabilidade civil paga os prejuízos que causamos a terceiros. A parte do seguro automóvel danos proprios paga a nós proprios. Recompõe o nosso automóvel no decurso de um sinistro cuja responsabilidade foi nossa.

Por isso é tão importante contratarmos um seguro com danos proprios, principalmente quando o carro é novo.

O custo de recompor um carro acidentado é elevado, e dispor do fundo de maneio da nossa empresa ou do orçamento familiar nem sempre é possível.

Investir num seguro de danos proprios torna-se assim numa estratégia financeira eficaz. Tanto para colmatar a dependência activa do seu negócio no fundos de maneio. Ou mesmo para não desequilibrar o orçamento familiar.

Então mas porque se usam as palavras “Contra todos os riscos” ?

O correto é usar as palavras “danos proprios” quando nos queremos referir a um seguro automóvel que tem coberturas adicionais para proteger os nossos interesses.

“Contra todos os riscos” não é a expressão mais correta para ser usada porque induz a erro de interpretação. Nenhum seguro nos protege contra todos os riscos.

A título de exemplo suponhamos que:

O meu automóvel tem um seguro com danos proprios.

Eu conduzo o meu automóvel sob o efeito de álcool e tenho um acidente em que choco contra um muro.

Apesar de a cobertura contra choque estar contratada no meu seguro a companhia não vai assumir o prejuízo do meu automóvel.

Eu estava a conduzir sob o efeito de álcool e isso é uma exclusão para a cobertura de dano proprio choque.

Então, não é em todas as circunstâncias que podemos accionar o seguro de danos proprios.

Existem exclusões para as quais devemos estar atentos.

Por esse motivo a expressão “contra todos os riscos” não é a que melhor se enquadra nesta situação.

Até agora já sabe:

  • seguro de danos proprios o que é;
  • a expressão “Contra todos os riscos” não é a mais adequada. O correcto é “danos proprios”

Que coberturas existem de danos proprios?

Existem várias coberturas de danos proprios que pode contratar junto com o seu seguro automóvel. Tudo vai depender das opções que a companhia em que está a pesquisar o seguro proporciona. Mas dentro das mais conhecidas temos:

  • Choque, colisão e capotamento;
  • Incêndio, Raio e Explosão;
  • Furto ou roubo;
  • Fenómenos da Natureza;
  • Actos de Vandalismo;

Todas as coberturas de danos proprios podem ser contratadas para qualquer automóvel?

De companhia de seguro para companhia de seguro existem regras para a contratação de um seguro de danos proprios para o seu automóvel.

Mas o mais importante é que a data de matricula não tenha mais de 5 anos.

Dependendo do numero de anos do automóvel pode tornar-se mais difícil que a companhia aceite a contratação dos danos proprios.

Existem outros pormenores que tornam a contratação de danos proprios dificil, nomeadamente para automóveis importados, para frotas de taxis ou autocarros. Nestes casos é necessário uma avaliação do risco mais cuidadosa.

No entanto, mais difícil não significa impossível!

 

Vai comprar automóvel novo com financiamento bancário? Estas são as exigências dos bancos relativamente ao seguro automóvel.

Quando financiamos a compra no automóvel junto do banco é necessário contratarmos o seguro automóvel mediante as características exigidas pelo banco.

Os bancos solicitam algumas características especificas para o seguro automóvel para protegerem o financiamento no  caso de sinistro. Quer  no decorrer desse sinistro haja ou não a destruição parcial ou total do automóvel.

  • Direitos ressalvados ao banco. Ao fazermos o seguro automóvel temos de indicar que pretendemos que o seguro tenha direitos ressalvados ao nosso banco. O motivo é simples, em caso de sinistro, cancelamento de seguro, ou outra alteração no seguro, a companhia é obrigada a informar imediatamente o banco, e está sujeita à autorização do mesmo para proceder em conformidade;
  • Responsabilidade civil automóvel no valor de 50 milhões;
  • No mínimo a contratação destes danos proprios: Choque, colisão e capotamento, incêndio, raio e explosão, furto ou roubo, Fenómenos da natureza, Actos de Vandalismo;
  • Franquia inferior a 4%.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.